Os Cs Positivos e Negativos de Ser Pais no Islam

 

 

 

Os "Cs" Positivos e Negativos de Ser Pais no Islã

 


 

Um dos maiores desafios que um muçulmano(a) irá enfrentar é ser pai ou mãe. Este é um desafio, entretanto, para o qual muitos de nós não está bem preparado. Allah diz no Alcorão que nossas crianças são nosso teste e como tal devemos encarar com seriedade a tarefa de ser pais e começar a aprender uns com os outros. Em minha experiência lidando com minha própria família e aconselhando outras famílias muçulmanas, um modelo foi desenvolvido sobre o que chamo "Cs Positivos e Negativos". Eu rogo a Allah que esta humilde contribuição possa ajudar pais e filhos em diagnosticar e rever a saúde de suas famílias.

 

Os "Cs" Positivos:

 

  Compaixão (Rahmah):

O profeta Muhamad (SAWS) afirmou:

 "Não é de nós quem não tem compaixão pelos seus semelhantes". 

É interessante notar que quando se refere a um "hadith" como este ou versículos corânicos lidando com o comportamento humano, nunca paramos para pensar que nossas crianças e membros da família são também nossos semelhantes e que estas normas importantes também devem ser aplicadas a eles. Compaixão é apenas um componente do conceito de misericórdia (rahmah) - os outros são gentileza, respeito e, é claro, amor. Lembre do desagrado do Profeta Muhamad (SAWS) quando Al-Aqra ibn Habis disse a ele que nunca havia beijado nenhum de seus 10 filhos. Ao ouvir isto o Profeta Muhamad (SAWS) disse a ele: 

"Você não tem misericórdia e ternura nenhuma. Aqueles que não tem misericórdia com os outros não terão a misericórdia de Allah."  

 

Consulta (Shura):

O Profeta Muhamad (SAWS) relatou que Allah disse:

 "Ó Meus servos eu fiz a opressão ilícita para Mim e ilícita para vocês. Portanto, não oprimam uns aos outros." 

Quando se consultam no campo da vida doméstica, marido e esposa devem mostrar respeito um com o outro. Esta é a melhor maneira de se unir, aprender, ouvir e resolver conflitos. Entretanto a consulta somente será proveitosa se for sincera e não uma mera formalidade. A imposição de idéias com pouca consideração pelo bem-estar de toda a família destrói o propósito do mais importante princípio corânico, as-shura (consulta mútua).

 

 Cooperação:

O conceito de cooperação no Islã é belamente ilustrado na surata Al-Asr: 

"Salvo os crentes que praticam o bem, aconselham-se na verdade e recomendam-se mutuamente à perseverança!"

Quando a família coopera desta forma, eles realmente capturam o espírito do Islã - o bem-estar de cada membro da família se torna a preocupação de todos.

 

  Compromisso:

É extremamente importante que nossas famílias se comprometam como uma unidade a Allah e Seu Profeta (SAWS): 

"Obedeça a Allah e Seu Profeta e aqueles com autoridade sobre vocês" (surata An-Nisa). 

Este compromisso coletivo nos dá uma identidade e evidencia nosso propósito - que nós pertencemos a Allah e somos responsáveis perante Ele.

 

  Comunicação:

Comunicação é mais do que simplesmente conversar. É uma parte essencial da vida familiar. É tanto falando de uma forma que os outros possam lhe compreender, quanto ouvindo de forma que você possa ouvir e compreender os outros. Muitas vezes as pessoas alegam que não têm problema de comunicação uma vez que estão sempre conversando. Entretanto, a maior parte do tempo estão conversando "na" pessoa e não conversando "para" a outra pessoa. Esta maneira geralmente resulta no "desligamento" daquele que ouve. Muitas crianças aprendem em tenra idade a "desligar" de seus pais. Quando a comunicação é uma forma de ouvir, compreender e trocar idéias, é a ferramenta mais poderosa para uma paternidade efetiva e a melhor proteção contra pressões sociais. Também ensina à criança a habilidade para resolver problemas. Um componente importante da comunicação positiva é o senso de humor, quando pais e filhos podem rir juntos. Comunicação também pode ser um instrumento para passar a história da família e portanto desenvolver unidade e senso de comunhão por compartilhar de uma herança mútua (crianças amam ouvir histórias familiares).

 

Consistência:

Paternidade efetiva requer consistência em valores para julgar, disciplinar e estabelecer padrões morais. Muitos pais aplicam padrões duplos para meninos e meninas em relação ao comportamento social e tarefas domésticas. Isto é inaceitável, leva à rivalidade e a homens e mulheres estereotipados.

 

  Confidência:

A família é constituída daqueles com quem podemos nos sentir seguros e protegidos. Onde sabemos que nossos segredos estão protegidos e onde existe confiança mútua. Infelizmente, nós pais geralmente traímos a confiança de nossas crianças quando discutimos as preocupações que confiaram a nós com estranhos. Isto gera desconfiança, e mais cedo ou mais tarde nossas crianças irão parar de confiar em nós. Isto os leva a encontrar confidentes fora da família e isto pode ser prejudicial ao seu crescimento moral e espiritual.

 

  Contentamento:

O maior presente que podemos dar a nossas crianças é o contentamento. Isto pode ser desenvolvido muito cedo na vida, encorajando nossas crianças a agradecer a Allah por tudo que eles têm e desencorajando o materialismo através da palavra e do exemplo,  contando as bênçãos todas as noites e lembrando dos menos afortunados.

 

  Confiança:

É dever dos pais desenvolver confiança nas crianças através do encorajamento e elogios honestos e sinceros. Desenvolvendo a confiança, damos às nossas crianças a coragem para se defender e às suas crenças e serem capazes de lidar com oposição.

 

  Controle:

Ensinando comedimento e evitando excesso desenvolvemos em nossas crianças o controle de modo que eles não se tornem escravos de seus desejos (nafs).

 

  Calma:

Ao mostrar calma em assuntos adversos e em momentos de pânico nós aperfeiçoamos nossa "taqwa"  e ensinamos nossas crianças a se apoiar em Allah e a se voltar para Allah somente, para todas as suas necessidades. Allah diz no Alcorão que a melhor declaração dos crentes em tempos de adversidade ou "musibah" é: 

"De fato viemos de Allah e a Ele é nosso retorno".

 

  Coragem:

Coragem e convicção somente podem ser atingidas quando tivermos sido capazes de ensinar às nossas crianças o verdadeiro Islã. Devemos tirar vantagem de toda oportunidade de aprendizado como uma família de modo que nossa fé (imam) floresça e evolua em torno de "Ihsan" (boa ação, sinceridade) como uma unidade familiar. Desta forma cada um de nós pode ser uma fonte de fortalecimento para o outro.

 

   Consciência Crítica:

O Alcorão nos encoraja mais e mais a pensar, refletir, ponderar, compreender e analisar. Entretanto, raramente os pais encorajam seus filhos a questionar. Nossa resposta às perguntas difíceis de nossas crianças é dizer "faça isto porque eu disse". Isto desencoraja as crianças a desenvolver um pensamento ou consciência crítica. Eles se tornam preguiçosos e complacentes e presa fácil para o culto da imitação. Tomar as questões por seus valores superficiais nos faz vulneráveis.

 

  Caridade:

Esta é a atitude mais importante da personalidade islâmica, como o Profeta Muhamad (SAWS) afirmou: 

"Você não deseja que Allah o perdoe? Então perdoes seus irmãos".  

Muitos relacionamentos terminam  porque as pessoas não são capazes de se perdoar. É importante que os pais se reconciliem na frente de seus filhos perdoando um ao outro depois de uma discussão. O Profeta Muhamad (SAWS) afirmou "deseje para seu irmão o que você deseja para si mesmo". Portanto, se o marido e a esposa esperam respeito um do outro, eles devem mostrar respeito. Uma natureza caritativa também nos encoraja a não reparar nas deficiências ou limitações das pessoas e a ser sensíveis e ter empatia.

 

 

Os "Cs" Negativos:

 

Existem muitos "Cs" negativos que também devem ser identificados de modo que possamos evitá-los ou pelo menos ter consciência deles. Como vocês irão perceber quando passarem através do exercício completo, a presença de um C negativo cancela um C positivo.

 

  Competição:

Em um "hadith" autêntico o Profeta Muhamad (SAWS) disse: 

"Olhe para aqueles que são maiores em religiosidade de modo que você se esforce para ser como eles e olhe para aqueles que estão abaixo de você em condições materiais de modo que você possa ser grato à Graça de Allah".  

Como comunidade muçulmana estamos experimentando o oposto. Estamos literalmente nos matando para obter maiores e melhores bens materiais que os outros e passando o mesmo espírito de competição para nossas crianças. Se o filho do sr. X está indo para a universidade de Yale, meu filho deve ir para Harvard, de outra forma ele será um fracassado, não importa o quão bom muçulmano ele é em comparação ao filho do sr. X. Estamos colocando muita pressão em nossos filhos para competir em "dunia" (vida terrena), ferindo sua auto-estima e afastando-os. Lembre, se as crianças não obtiverem aceitação de quem eles são e do que eles são capazes em casa, eles a encontrarão em outro lugar.

 

  Comparação:

Comparação, uma conseqüência da competição negativa, é cruel e alimenta ressentimento e raiva. Muitos maridos e esposas comparam seus cônjuges a outros e adquirem o hábito de reclamar. A grama no jardim do vizinho é sempre mais verde, mas uma investigação mais próxima pode revelar o oposto. Nenhum de nós é perfeito, e portanto devemos parar de procurar perfeição nos outros.

 

  Controle:

O aspecto negativo do controle aparece na forma do controle da personalidade, isto é, eu sou o chefe então faça o que digo a você. Em casos extremos esta necessidade de controle leva ao abuso e negligência. Raiva também é uma arma de controle. Em muitos casos é o pai, entretanto mães também exibem esta característica.

 

  Crítica:

Crítica constante e destrutiva é um sinal de pais disfuncionais. Rebaixamento contínuo e confrontos verbais destroem a atmosfera tranqüila na casa. A auto-estima dos que recebem estas críticas é extremamente baixa e desenvolve neles a mentalidade de vítima. Eles entrarão em relacionamentos abusivos ou darão as costas para suas famílias. Muitas fugas acontecem neste "background" familiar.

 

  Corrupção:

"Se a verdade tivesse satisfeito seus interesses, os céus e a terra, com quanto encerram, seriam corrompidos."

 "Nafs" fraca e corrupção do coração levam a um caráter fraco que resulta em  submissão relutante e fé condicional. Quando nós corrompemos nossa fé pegando e escolhendo o que queremos, praticando o que é mais adequado para nós e resistindo e opondo o que não se adequa ao nosso gosto, pagamos um preço enorme nos perdendo para a "dunia" e direcionando nossas crianças para longe do Islã.

 

  Confusão:

Os pais estão confusos sobre suas identidades e valores. Eles não tem sido capazes de desenvolver uma estrutura de certo e errado baseada no Alcorão e Hadith e como tal, quando chega o momento de sua implementação eles dão sinais conflitantes para seus filhos.  Como pais devemos desenvolver um quadro islâmico de referência que serviria para desenvolver uma consciência islâmica em nossas crianças e uma base para julgamento. Isto só pode ser atingido peneirando nossa bagagem cultural e aumentando nosso conhecimento.

 

  Consumismo:

Consumismo, um vício da sociedade, está crescendo nas comunidades muçulmanas. Quando desejos se tornam necessidades, e pais começam a compensar a falta de tempo para seus filhos com presentes materiais, estamos perpetuando o consumismo - tudo pode ser comprado. Entretanto, isto não é verdade. Muitos jovens que aconselho dizem "Eu podia ficar sem este computador novo se meus pais passassem mais tempo comigo". O legado do materialismo sobrevive à gerações uma vez que abastece nosso eu mais básico. Por favor fique atento a isto.

 

  Contradição:

Quando existe contradição entre as palavras e atos isto se chama hipocrisia. Crianças são muito sensíveis a este vício e podem identificar um hipócrita a quilômetros de distância. Quando nos comportamos como "santos" na mesquita mas apresentamos um lado diferente em outras ocasiões, estamos passando para nossos filhos a mensagem de que não há problema em ser hipócrita. 

 

  Colonização:

Esta é a mentalidade que muitos pais imigrantes tem passado para seus filhos - um senso de inferioridade, um complexo de que as culturas ocidental e européia são superiores e melhores que a de seus países de origem. Esta é a mentalidade que encoraja imitação, subordinação e subserviência ao invés de liderança.

Existem muitos outros "Cs" positivos e negativos que eu poderia discutir, mas talvez fôsse divertido se famílias pudessem se sentar juntas e ver quantos mais eles podem descobrir, e realizar um teste de diagnóstico de suas próprias famílias baseado nesta humilde contribuição.

 

Texto de Shahina Siddiqui. Shahina Siddiqui é de origem paquistanesa mas possui cidadania canadense e vive atualmente no Canadá. É membro da Associação Islâmica de Serviços Sociais (com bases nos EUA e Canadá). Também trabalha ativamente com planejamento de serviços sociais no Centro Islâmico de Manitoba - Canadá. 

Este texto foi apresentado inicialmente no site islâmico "Islam On-Line" que autorizou a tradução e utilização do texto, mas que infelizmente não está mais ativo. 

 

                                        Home                 Artigos