Mais Um Passo da Jornada

 

 

 

Mais Um Passo da Jornada: Um Depoimento


 

 

natur099.JPG (11349 bytes)

 

 

'A Allah pertence a Soberania dos Céus e da Terra, e para Allah é a Última Jornada.'

(Qur'an surata 24 versículo 42)

 

Em nome de Deus, O Clemente, O Misericordioso.

Meus irmãos e irmãs, gostaria de dividir com vocês algo muito especial.

 

Neste fim de semana me pediram para participar do preparo do corpo de uma irmã que seguiu no seu caminho para a outra a vida e, Inshallah, para o Jannah.

 

Pega de surpresa, disse um “sim, claro...” não muito convincente.  Sou uma convertida, com poucos anos de Islã e, como a maioria de nós, membros da “civilização” ocidental moderna, com nenhuma experiência direta com a morte. Claro, já perdi pessoas queridas, já vi algumas poucas situações de doenças graves, mas tudo sempre envolto no ambiente artificial e, sejamos francos, indigno, dos hospitais e funerais. 

Nós nascemos e morremos em mãos (e máquinas) estranhas, que mesmo quando são de bons profissionais e seres humanos decentes (o que não é a regra), não deixam de estar envolvidos por certa frieza. E o mais grave: estes momentos tão importantes não se revestem de nenhum significado superior, no máximo da alegria e tristeza naturais. 

Mas o compromisso estava firmado...e na hora combinada estávamos reunidas, três convertidas assustadas e uma boa muslimah de origem libanesa e com experiência na tarefa.

E juntas entramos na sala para cuidarmos de nossa irmã, fazermos seu último wudú, banharmos seu corpo e o envolvermos no cafan. Após menos de uma hora ela estava pronta para uma nova etapa de sua jornada.

E nós três, as “novatas”, completamente surpresas. Porque estávamos felizes, pacificadas...gratas. Nos distanciamos da sala em que os irmãos faziam o Salatul Janaza e, cercando a irmã mais experiente, comentávamos como tudo havia sido simples, belo, doce... Passo a tentar transcrever os comentários e impressões.

No contato com o corpo de nossa irmã fomos confrontadas com a realidade de nossa fragilidade e brevidade física. A realidade da morte. Ao mesmo tempo a  simplicidade e dignidade dos procedimentos islâmicos compõe o fecho final de mais uma etapa de uma vida limpa, reta. Não sei se é um prenúncio de Allah sobre o destino daquela alma (Inshallah seja!), mas havia luminosidade e doçura no ambiente.

Também nos sentimos profundamente amparadas. E em dois níveis. No sentido mais elevado, ficou claro como Allah, Louvado seja, em tudo nos ampara e a tudo providencia. Isso por causa de uma série de circunstâncias que cercaram esta morte e sepultamento, mas sobre as quais não posso dar detalhes sem ser indiscreta. Em um nível menos elevado, mas também fundamental, fomos testemunhas de como a comunidade se envolveu carinhosamente em torno dessa moça, que mal conhecia, e de sua família, pela razão simples e suficiente dela ser uma muçulmana. Todas nos sentimos parte da Ummah, cuidando e sendo cuidados. Porque aquela muçulmana sou eu e é você. É nossa mãe, filha, irmã, amiga.

E os familiares dessa irmã, que não são muçulmanos, ficaram tão profundamente tocados que querem  voltar a visitar a mesquita, pois gostariam de aprender mais sobre o Islã.  

Sabe quando lemos ou ouvimos que o Islã abarca todos os aspectos da vida? A partir desta experiência essa frase tem uma nova força para mim.

Por isso é tão importante que busquemos o conhecimento de todos os procedimentos prescritos pelo Islã, em cada etapa  de nossas vidas e das vidas de nossos irmãos. Conhecer, preservar e ensinar estas práticas é fundamental, é tornar-se verdadeira e completamente muçulmanos. Devemos nos preparar para tais tarefas e nos oferecermos para cumpri-las, sem medos bobos, e agradecendo ao senhor a oportunidade de viver plenamente o Islã. 

Que Allah nos guie e ampare a todos, Louvado seja!

Maa salaams

 

Pequeno Glossário:

Jannah - Paraíso.

Wudú - Ablução ou lavagem ritual.

Cafan - Mortalha branca que envolve o corpo do(a) muçulmano(a) ao ser enterrado(a).

Salatul Janaza - Oração feita pelos muçulmanos pelo(a) muçulmano(a) falecido(a).

NOTA DA AUTORA DO ARTIGO: Sobre todos os procedimentos ligados à morte, desde a questão da herança até como reconhecer os momentos finais de um agonizante, há um livro maravilhoso em português: “A Demolidora dos Prazeres”,  de Aminuddin Mohamad, publicado pelo Conselho Islâmico de Moçambique. A edição que tenho é de 1993.

 

Em caráter excepcional este artigo do Islamic Chat não trará os créditos de autoria. A autora, brasileira convertida ao Islam, por motivos éticos preferiu ficar no anonimato.

Que Allah a abençoe e recompense por compartilhar de sua experiência com todos nós.

Maria Moreira - webmistress do Islamic Chat.

 

                               Home              Artigos