Malcom X

 

 

Malik El-Shabazz (Malcom X)

Citação da Autobiografia de Malcom X como passada a Alex Haley



   

A primeira carta foi, claro, para minha esposa Betty. Eu sabia que ela veria o que eu tinha visto - que na terra de Muhammad e a terra de Abraão, eu tinha sido abençoado por Allah com um novo entendimento da verdadeira religião do Islã, e uma melhor compreensão do inteiro dilema racial americano.

Eu sabia que quando minha carta se tornasse pública na América, muitos ficariam aturdidos – pessoas queridas, amigos e inimigos. Eu mesmo fiquei aturdido. Mas houve precedente em minha vida para esta carta. Aqui está o que escrevi... do meu coração:

“Nunca eu tinha testemunhado tal sincera hospitalidade e irresistível espírito de verdadeira irmandade como é praticado por pessoas de todas as cores e raças nesta Antiga Terra Sagrada, o lar de Abraão, Muhammad e todos os profetas das Escrituras Sagradas. Ao longo da última semana, eu fiquei sem palavras e fascinado pela graciosidade que vejo demonstrada ao meu redor por pessoas de todas as cores.

Eu fui abençoado em visitar a Cidade Sagrada de Meca. Eu fiz os sete circuitos em torno da Caaba, levado pelo jovem Mutawaf chamado Muhammad.  Eu bebi da água do poço de Zam-Zam...

Havia dezenas de milhares de peregrinos, do mundo inteiro. Eles eram de todas as cores,  de louros de olhos azuis a africanos de pele negra. Mas estavam todos participando em um mesmo ritual, demonstrando o mesmo espírito de unidade e irmandade.

A América precisa entender o Islã, porque esta é uma religião que apaga da sociedade o problema da raça. Através de minhas viagens no mundo islâmico, eu tenho encontrado, falado, e mesmo comido com pessoas que na América seriam consideradas ‘brancas’ – mas a atitude ‘branca’ foi removida de suas mentes pela religião do Islã. Eu nunca tinha visto antes uma irmandade verdadeira e sincera praticada por todas as cores juntas, independente de suas cores.

Você pode estar chocado por estas palavras virem de mim. Mas nesta peregrinação, o que eu tenho visto, e experimentado, me forçou a rearranjar muito dos padrões de pensamento que mantive previamente, e deixar de lado algumas de minhas prévias conclusões. Não foi muito difícil para mim. Apesar de minhas convicções firmes, eu sempre fui um homem que tenta enfrentar os fatos, e aceitar a realidade da vida quando uma experiência nova e conhecimento novo revelam isto. Eu mantive sempre uma mente aberta, que é necessária para a flexibilidade que deve andar de mãos dadas com toda busca inteligente pela verdade.

Durante os últimos onze dias aqui no mundo muçulmano, eu tenho comido do mesmo prato, bebido do mesmo copo, e dormido no mesmo tapete – enquanto orando para o mesmo Deus – com irmãos muçulmanos, cujos olhos eram os mais azuis dos azuis, cujo cabelo era o mais louro dos louros, e cuja pele era a mais branca das brancas. E nas palavras e nas ações e nos atos destes muçulmanos ‘brancos’, eu senti a mesma sinceridade que senti entre os muçulmanos negros africanos da Nigéria, Sudão e Gana.

Nós éramos verdadeiramente todos os mesmos (irmãos) – porque sua crença em um Deus tinha removido o ‘branco’ de suas mentes, o ‘branco’ de seu comportamento, e o ‘branco’ de suas atitudes.

Todos os louvores são para Allah, o Senhor de todos os Mundos.

Sinceramente,

El-Hajj Malik El-Shabazz

(Malcom X)


‘Ó humanos! Nós os criamos de um único (par) de um homem e uma mulher, e os fizemos nações e tribos, de modo que possam conhecer uns aos outros. Verdadeiramente, o mais honrado entre vocês aos olhos de Deus é o mais virtuoso. E Deus tem pleno conhecimento e está bem inteirado (de todas as coisas).’

Escrito árabe do versículo acima.

Alcorão surata 49: 13


‘Ó homens! Ouçam a minha mensagem e a entendam bem. Não existe superioridade dos árabes sobre os não-árabes, e dos não-árabes sobre os árabes, do branco sobre o negro e do negro sobre o branco, exceto em sua consciência de Deus...’

Extrato do último sermão do profeta Muhammad (que a Paz esteja sobre ele).


Texto original:  " Malik El-Shabazz (Malcom X)"  retirado do site 'New Internet Gazette'

Traduzido e reproduzido com permissão.

 

                                               Home                  Artigos