Base da Moralidade

Pergunta: É geralmente dito que sem Deus o conhecimento da moral encontrado dentro de cada pessoa não poderia ser explicado.  Por favor acrescente alguma luz sobre o assunto.

Resposta: De acordo com as escrituras religiosas, a criação do homem não foi acidental ou espontânea. Ele foi, de fato, criado por Seu Senhor para habitar nesse mundo, por um tempo determinado no qual ele seria tentado e testado. Nesse teste ele é requerido a seguir o que é bom e evitar o que é mau. Com relação ao bem e ao mal, o Qur’an mantém que o homem é inerentemente consciente de ambos (91:8). Em outras palavras, ele tem um conhecimento inato de tudo que é bom e mau.

As escrituras vão mais além ao afirmar que aqueles que levam uma vida boa serão recompensados pelo seu Criador na Outra Vida e aqueles que levam uma vida de pecado serão punidos em vários níveis.

Essas premissas quando ligadas com o nosso “ser” trazem uma conexão notável à nossa mente. Se nós fossemos o resultado de alguma ação e reação química nós não teríamos sido abençoados com o conhecimento inato do bem e do mal. Em outras palavras, nosso conhecimento inato sobre o que é bom e mau testemunha o fato de que “alguém” inculcou esses valores dentro de nós. Esse conhecimento é tão pronunciado que é reconhecido por toda a humanidade sem distinção.

Por isso todos nós consideramos justiça, veracidade e honestidade como virtudes; e opressão, mentira e desonestidade como crimes.  De tal forma que nos sentimos culpados e envergonhados no caso de não seguirmos o nosso conceito inato de certo e errado.

Portanto, o testemunho de nossa consciência, e o fato de que nós somos conscientes do bem que devemos seguir; e os defeitos dos quais devemos nos livrar, nos leva à uma única conclusão: de que um Criador Sábio e Sagaz muito sabiamente instilou-os dentro de Sua Criação, os seres humanos.

Inversamente, quando se trata do ponto de vista dos ateus, encontramos que eles podem nos fornecer uma hipótese referente à primeira causa da criação do homem, mas sua teoria nunca explica como adquirimos o conhecimento universalmente aceito de certo e errado, e porque nos sentimos envergonhados quando seguimos o caminho errado.

Em outras palavras, sem entrar em detalhes absurdos de ação e reação química, os fatos que negam a possibilidade de tais hipóteses são o nosso conhecimento inato do que é bom e o que é mau e a exortação interna que nós sentimos para seguir o caminho correto e evitar o errado. 

Além disso, nós também estamos intelectualmente convencidos com base em nossa idéia de bem e mal que um Dia deveria chegar quando justiça, em sua forma absoluta, será dispensada. Portanto, a conexão entre Deus e nosso conhecimento é evidente; e sem estabelecer essa conexão não é possível compreender o aspecto moral da humanidade.

 

Recebida pela mala direta do site Studying Islam

Voltar para Perguntas