Iblis era um dos anjos ou um dos jinn

 

Iblis era um dos anjos ou um dos jinn? E os jinn estão entre os anjos?


Resposta:

Todos os louvores são para Allah.  

Shaykh Muhammad al-Ameen al-Shanqeeti (r.a) disse:

1. Allah diz:

Ele era um dos jinn; ele desobedeceu ao commando de seu Senhor.” (al-Kahf 18: 50)

O significado aparente é que a razão para sua desobediência era o fato de que ele era um dos jinn. A conjunção fa’ no texto árabe (kaana min al-jinn fa-fasaqa ‘an amri Rabbihi) é indicativo da razão, como na frase árabe saraqa fa quti’at yaduhu que significa, “ele roubou, então sua mão foi cortada”, i.e., foi porque ele roubou; ou a frase saha fa sajada que significa, “ele esqueceu então ele se prostrou”, i.e., foi porque ele se esqueceu. O mesmo padrão é visto no versículo:

“E quanto ao ladrão e à ladra, cortem (fa qta’u) suas mãos”

(al-Maida 5: 38)

i.e., por causa de seu roubo.

Similarmente na frase kaana min al-jinn fa-fasaqa (ele era um dos jinn (então) ele desobedeceu...) significa que foi porque ele era em essência um dos jinn, porque sua característica é o que o fez diferente dos anjos, porque eles obedeceram o comando mas ele desobedeceu.

Por causa do significado aparente desse versículo, um número de sábios foram de opinião de que Iblis não era originalmente um dos anjos, mas sim um dos jinn, mas costumava adorar a Allah junto com eles, de modo que foi chamado pelo seus nomes, assim como um aliado de uma tribo pode receber o seu nome. A evidência daqueles que dizem que ele não era originalmente um dos anjos é baseada em duas coisas:

1 – O fato de que os anjos são protegidos contra o cometimento de kufr cometido por Iblis, como Allah diz:

“eles (os anjos) não desobedecem os Comandos que recebem de Allah, mas fazem o que lhes é ordenado”

(al-Tahrim 66: 6)

Eles não falam até que Ele tenha falado, e eles agem sobre o Seu Comando.” (al-Anbiyaa 21: 26-27)

2 – Allah claramente declara nesse versículo (al-Kahf 18: 50) que Iblis era um dos jnn e não um dos anjos. Eles disseram: esse é um texto corânico sobre o qual existe alguma disputa.

… 

Entre os que afirmaram que ele não era originalmente um dos anjos baseado no significado aparente desse versículo foi Hasan al-Basri, que foi apoiado por al- Zamakhshaari em seu Tafsir.

Al-Qurtubi disse em seu tafsir da Surata al-Baqarah: “A idéia de que ele era um dos anjos é a opinião da maioria, Ibn Abbas, Ibn Masood, Ibn Juraij, Ibn al-Musayyb, Qutadah e outros. É a opinião escolhida pelo sheikh Abul Hasan e considerada a mais correta por al-Tabari, e é o significado aparente da frase “exceto Iblis” (al-Kahf 18: 50)

O que os mufasirin cotaram de um grupo dos predecessores como Ibn Abbas e outros, que ele era um dos mais nobres dos anjos, um dos guardiães do Paraíso, e que ele controlava os assuntos do primeiro céu, e que seu nome era Azazel é tudo tirado de relatos narrados em fontes judaicas, e não são confiáveis.

A evidência mais clara referente a esse assunto, a evidência citada por aqueles que dizem que ele não era um anjo por causa do versículo:

Ele era um dos jinn; ele desobedeceu ao commando de seu Senhor.” (al-Kahf 18: 50)

é o texto mais claro da revelação que prova esse ponto.

 

E Allah sabe melhor.

 

Adwaa’ al-Bayaan, 4/130-132. (www.islam-qa.com)

http://63.175.194.25/index.php?ln=eng&ds=qa&lv=browse&QR=22232&dgn=4

 

Voltar para Perguntas