No Cristianismo o sentimento religioso

 

No Cristianismo o sentimento religioso, o que "move" e "comove" é a Queda e a Salvação. Quero saber se no  Islam acontece o mesmo. Para que o Profeta veio a este mundo? Por que Deus o enviou? Existe Queda? Existe Salvação?

 

R - Estou citando os versículos do Alcorão onde aparecem comentários referentes à queda de Adão, Salvação, etc., e os comentários feitos por um dos mais conhecidos tradutores e comentadores do Alcorão, Yusuf Ali. Não significa que ele seja infalível ou que sua interpretação seja a única válida, mas é uma boa referência. Em alguns casos acrescentei meus próprios comentários, que estou identificando com (*) para que sejam reconhecidos.  

Queda de Adão:

“Determinamos: Ó Adão, habita o Paraíso com tua esposa e desfrutai dele com a prodigalidade que vos aprouver; porém, não vos aproximei desta árvore, porque vos contareis entre os iníquos.

Todavia, Satã os seduziu, fazendo com que saíssem do estado (de felicidade) em que se encontravam. Então dissemos: Descei! Sereis inimigos uns dos outros, e, na terra, terei residência e gozo transitórios.

Adão aprendeu de seu Senhor algumas palavras (como preces) e Ele o perdoou, porque é o Remissório, o Misericordiosíssimo.

E ordenamos: Descei todos daqui! Logo vos chegará o Meu Guia. Aqueles que seguirem Minha orientação não serão presas do temor, nem se atribularão.”

(Alcorão surata (capítulo) 2 versículos 35 a 38)

 “Porém Satã sussurou-lhe, dizendo: “Ó Adão, queres que te indique a árvore da prosperidade e do reino eterno?

E ambos comeram da árvore e suas vergonhas foram-lhes manifestadas, e puseram-se a cobrir seus corpos com folhas das plantas do Paraíso. Adão desobedeceu a seu Senhor e se extraviou.

Mas logo seu Senhor o elegeu, absolvendo-o e encaminhando-o.

Disse: Descei ambos do Paraíso! Sereis inimigos uns dos outros. Porém, logo vos chegará Minha orientação e quem seguir a Minha orientação, jamais se desviará nem será desditoso.”

(Alcorão surata 20 versículos 120 a 123)

Comentários:

Adão e Eva estavam cobertos com as vestes da Inocência e não conheciam o mal. Quando desobedeceram a Deus macularam suas almas e tiraram as vestes da Inocência. Seus Eus maculados lhes apareceram em toda sua nudez e tiveram que recorrer à vestimentas externas para cobrir a vergonha de suas próprias consciências. Foi dado a Adão o direito de escolha e ele fez a escolha errada, mas seu arrependimento foi aceito. Entretanto estabeleceu-se a eterna inimizade entre o Homem e Satã, entre nossa natureza boa e o Mal.

(*) É interessante notar que no Islam Eva não é a culpada pela queda da Humanidade. Ambos, Adão e Eva, pecaram e ambos foram perdoados. Em algumas passagens Deus se refere exclusivamente a Adão, como responsável pelo erro.

Satisfação no Paraíso:

“E tu, ó alma em paz.

Retorna ao teu Senhor, satisfeita e comprazida!

Entra no número de Meus servos!

E entra em Meu jardim!”

(Alcorão surata 89 versículos 27 a 30)

Comentário:

Os corretos recebem sua herança e suas boas vindas. Descansam em paz em um estado de completa satisfação. Na teologia islâmica, este estágio da alma é o estágio final de felicidade e êxtase. O clímax do versículo é “Entra em meu jardim!”. Os homens podem ter imaginado todos os tipos de paraíso antes, mas nada pode expressar a realidade do Paraíso.

  Razão do envio dos profetas:

“Não enviamos os apóstolos senão como alvissareiros e admoestadores; e aqueles que crêem e se emendam não serão presas do temor nem se atribularão.”

Alcorão surata 6 versículo 48

 “Ó filhos de Adão, apresentar-se-ão apóstolos, dentre vós, que vos ditarão Meus versículos. Aqueles que temerem a Deus e a Ele se encomendarem não serão presas do temor nem se atribularão.”

(Alcorão surata 7 versículo 35)

Comentário:

Os apóstolos não são enviados para cancelar o livre arbítrio limitado do Homem. São enviados para pregar e ensinar – pregar esperança e arrependimento e para advertir os rebeldes.

 Salvação:

A doutrina da Vida Eterna no Islam não é estritamente uma doutrina de Recompensas e Punições. A promessa de Recompensa implica em duas coisas:

1)       A tomada de atitudes motivadas pela intenção de obter a recompensa;

2)       A proporção da recompensa em relação aos méritos do recebedor.

 Qualquer bem que façamos beneficia nossas almas, mas o motivo de fazê-lo deve ser apenas “contemplar a Face de Deus”. Entretanto, ser correto pela esperança de recompensa ou medo de punição pode ser bom em um estágio elementar de progresso espiritual, quando motivos mais elevados são desconhecidos. Mas a medida que a alma se ilumina, é visto que a virtude é sua própria recompensa e o mal sua própria punição.

(*) O conceito islâmico de Salvação não é baseado em boas obras, mas em fé. Em várias passagens do Alcorão a crença é sempre mencionada antes dos atos. Quando alguém se converte ao Islam não faz isto como uma boa obra mas através da realização de que não existe outro Deus, o Único, e que  Muhamad é Seu último mensageiro (ou profeta).

(*) No Islam não existe o Pecado Original porque ninguém é responsabilizado pelos erros de outros. A Humanidade não está sendo castigada pelos erros de seus antepassados e da mesma forma, ninguém pode expiar os pecados de outros. Por esta razão os muçulmanos não aceitam o conceito de Salvação através do sacrifício ou martírio de Jesus. Cada um é responsável por seus próprios erros e igualmente por sua própria Salvação.

 OBS: Os parágrafos marcados com (*) são meus comentários, não de Yusuf Ali.  

 

Voltar para perguntas