HAJJ

 

 

Os Rituais do Hajj

 

 

g12.jpg (228840 bytes)

 

Meca, durante o Hajj

 

Introdução:

Três meses após o Ramadã vem a estação da grande peregrinação à Meca (o Hajj), o lugar de nascimento do Islã, onde um número cada vez maior de homens e mulheres convergem cada ano, de todos os cantos da terra. A origem do Hajj, o Quinto Pilar do Islã, data do Profeta Ibrahim (as) e reúne muçulmanos de todas as raças e idiomas para vestir duas peças simples de algodão em uma impressionante demonstração do desprezo do Islã por divisões raciais ou nacionais. A cada ano vários milhões de pessoas fazem a peregrinação, tornando-a a maior congregação temporária do globo. É um ato de lembrança e adoração, mas também um ato simbólico representando o retorno do espírito à sua casa – um dos elementos centrais da vida islâmica. O Hajj é um dever imperativo (fard) para todos os muçulmanos física e financeiramente capazes de executá-lo.

" Nele existem Sinais Manifestos; (por exemplo), a Estação de Abraão; quem quer que nela se refugie obterá segurança. A peregrinação à Casa é um dever para com Deus, por parte de todos os seres humanos, que estão em condições de empreendê-la; entretanto, quem se negar a isso, saiba que Deus pode prescindir de todas as criaturas.  (Qur’an Al-Imran 3:97)

O ritual começa e termina na Caaba, a “Casa” cúbica construída, como os muçulmanos acreditam, por Adão (as) e restaurada por Abraão (as) e seu filho mais velho Ismael (as). Entretanto, o momento culminante ocorre a oito milhas, onde os muçulmanos oram próximo ao Monte da Misericórdia, um local desértico onde o Profeta (saws) costumava pregar. A peregrinação é considerada como a adoração de uma vida, e sendo o Pilar Final do Islã, o selo da consumação, a complementação da renúncia e perfeição da religião. Foi durante a Peregrinação que Deus enviou a Sua revelação:

“Hoje Eu aperfeiçoei a religião para vós, completei a Minha graça e determinei o Islã como vossa religião.” (Qur’an, A Mesa Servida 5: 3)

 

Os Rituais da Peregrinação:

Deus prescreveu certos rituais que um peregrino deve observar adequadamente para que a sua peregrinação seja aceita.

 

Places to visit during the pilgrimage

Realizar a peregrinação significa deixar todas as atividades mundanas de lado e ir ao encontro do Senhor. A condição básica é pureza de intenção (niyyah). Os outros rituais obrigatórios são:

1) Ihram. Antes de chegar na cidade sagrada, os muçulmanos entram em estado de consagração (dedicação) conhecido como Ihram, removendo suas roupas mundanas e adotando a vestimenta humilde dos peregrinos, duas peças de algodão para os homens e vestidos e véus simples para as mulheres. As vestimentas brancas são simbólicas da igualdade e unidade humana perante Deus, uma vez que todos os peregrinos se vestem da mesma forma. Dinheiro e condição social não é um fator para os peregrinos – a igualdade de cada pessoa aos olhos de Deus se torna evidente. Também é esperado que os peregrinos observem as normas do Ihram, que consistem em não ter relações sexuais, não matar insetos ou animais, e não remover qualquer cabelo do corpo.

 

kaaba_big.jpeg (51151 bytes)

(Clique na foto acima para vê-la em tamanho maior)

2) Tawaf al-qudum. Depois de chegar em Meca, os peregrinos realizam o tawaf inicial, que é uma procissão circular no sentido anti-horário em volta da Caaba. Todo o tempo eles afirmam "Labbayka Allahumma Labbayk," que significa “Aqui estou a Seu serviço, Ó Deus, aqui estou!” O significado do tawaf é despertar a consciência de cada muçulmano de que Deus é o centro de sua realidade e a fonte de todo o significado na vida, e que a mais alta identidade de cada pessoa deriva do fato de ser parte da comunidade dos muçulmanos crentes, conhecida como Ummah. Os peregrinos também realizam o Sa’i, que é correr sete vezes entre pequenos montes chamados Safa e Marwah, reproduzindo a estória bíblica e corânica da busca desesperada de Agar por água e comida. O Qur’an diz sobre Safa e Marwah:  “Vejam!  Safa e Marwah estão entre os Símbolos de Allah. Quem peregrinar à Casa, ou cumprir a Umrah, não cometerá pecado algum em percorrer a distância entre elas.  Quem fizer espontaneamente além do que for obrigatório, saiba que Deus é Retribuidor, Sapientíssimo.  Qur'an Al Baqara 2:158

3) Em seguida, no primeiro dia oficial do Hajj (8 do mês islâmico de Dhul-Hijjah), os milhões de peregrinos viajam poucos quilômetros para o vale de Mina e acampam lá. De Mina os peregrinos viajam na manhã seguinte para o monte Arafat onde passam o dia inteiro em enérgicas súplicas e devoção. É dito que quando Deus perdoa um pecado para um servo no monte de Arafat, Ele o perdoa para todo aquele que esteja no monte e seja culpado do mesmo pecado.   Também foi nesse dia que o Profeta (saws) recebeu o versículo do Qur’an de Deus “Hoje Eu aperfeiçoei a religião para vós, completei a Minha graça e determinei o Islã como vossa religião.” (Qur’an, A Mesa Servida 5: 3)

 

4) Naquela noite os peregrinos se movem e acampam em Muzdalifa, que é um lugar entre Mina e Arafat. Os muçulmanos passam a noite e oferecem várias orações lá.

5) Então os peregrinos retornam à Mina no dia 10 e atiram sete pedras em um pilar de pedra que representa o demônio. Isso simboliza as pedras atiradas por Abraão em Satanás, quando ele tentou dissuadi-lo de sacrificar o seu filho. Então os peregrinos sacrificam um carneiro, reproduzindo a estória de Abraão (as) que, em lugar de Ismael (as), sacrificou um carneiro que Deus proveu como um substituto. Os peregrinos raspam a sua cabeça ou aparam seu cabelo e retiram os seus trajes de Ihram. Todas as restrições de Ihram são aliviadas exceto às sobre relações sexuais.

 

6) Portanto o sacrifício de um carneiro é outra obrigação, a carne é distribuída entre a família, amigos e os pobres e necessitados na comunidade.

7) Depois do sacrifício, os peregrinos retornam à Meca e terminam os rituais formais do Hajj realizando um tawaf e um sa’i final. Depois do Tawaf al-Ifada (tawaf final), todas as restrições terminam. “Então completei os rituais prescritos, performem vossos votos e circungirem a antiga Casa. Qur'an Al-Hajj 22:29

8) Eles também devem beber da água de ZamZam e realizar dois rakaat de oração no lugar conhecido como Maqam Abraão (as), o lugar onde Abraão (as) e seu filho Ismael (as) pararam e oraram depois de terem construído a Caaba.

10) Uma vez que o Hajj tenha sido realizado, os muçulmanos celebram a Eid ul-Adha, três dias de celebração em todo o mundo muçulmano.

Se os rituais (1), (2), (3) e (7) tiverem sido realizados, então os rituais básicos foram observados. Mesmo que os outros rituais não tenham sido realizados adequadamente, a peregrinação é considerada como tendo sido feita. Os muçulmanos acreditam que os rituais do Hajj foram determinados por Deus e ensinados através do Profeta Muhammad (saws).

O Hajj é determinado para desenvolver a consciência de Deus e um senso de elevação espiritual. Também se acredita ser uma oportunidade para buscar o perdão pelos pecados acumulados durante a vida. O Profeta Muhammad (saws) disse que uma pessoa que realiza o Hajj adequadamente “retornará como um bebê recém-nascido (livre de todos os pecados).” A peregrinação também capacita aos muçulmanos de todas as partes do mundo, de diferentes cores, idiomas, raças e etnias a se reunirem em um espírito de irmandade universal para adorarem juntos ao Deus Único.  

 

Texto original: "Hajj" do site Salaam Knowledge

Visite também nesse site os artigos: "As Origens do Hajj", "História da Caaba" , "O Estado de Ihram - Por um Observador Cético"  e  Os Requisitos de Jurisprudência para o Hajj, De Acordo com As Quatro Escolas Sunitas de Jurisprudência Islâmica

 

 Home                                                            Artigos